SEMEANDO A POLÍTICA PARA COLHER CIDADÃOS

Roberto Batista Souza, Kássia Virginello

Resumo


Este artigo tem o propósito de analisar as múltiplas vantagens na readequação das estruturas educacionais, pedagógicas e administrativas dos processos de ensino-aprendizagem no que tange ao ensino da política como disciplina obrigatória nas redes de ensino público e privadas no Brasil, bem como sua interrelação com as disciplinas pautadas em humanidades e suas tecnologias. Concomitante a este objetivo se pretende analisar formas de efetivação para o desenvolvimento na educação formal com a propagação em aulas de conteúdos, conceitos e práticas sobre os fundamentos da política em sua forma mais ampla e abrangente, propondo ligações mais aproximadas entre o cotidiano social e político do estudante com as variadíssimas formas de se fazer, entender e viver politicamente, estimulando sua aceitação e muito melhor atuação em todos os campos da vida futura do estudante-cidadão. A metodologia deste trabalho tem por base a pesquisa conceitual e teórica de revisão bibliográfica de autores de referência nas áreas sociológicas, políticas e educacionais, que buscam refletir sobre as problemáticas da sociedade brasileira, expondo pontos positivos e negativos bem como possibilidades de desenvolvimento de aulas politizadas lato sensu por meio de estratégias dinâmicas nos processos educacionais que disponham e construam conhecimento profícuo para o público escolar, determinando gradualmente consequências positivas para o discente e para toda a sociedade. Os resultados e considerações deste diálogo confirmam que é possível haver o alcance da autonomia política, intelectual e social do aluno com o desenvolvimento da qualidade e acesso em todos os níveis da educação brasileira a um ensino e conteúdos politizados, cujas características incutam nos alunos de forma reflexiva e autônoma uma responsabilidade participativa como atores sociais políticos, inclusos nos processos de compreensão profunda sobre gestão, decisão e manutenção do tecido social e político a partir de suas estruturas, para que toda a nação consiga de forma sinérgica e responsável efetivar as transformações dinâmicas necessárias a este país, independentemente de sua posição nas hierarquias políticas, administrativas e sociais, mas atuando com eficácia, consciência e ética, munidos das ferramentas certas pelo conhecimento e educação consolidados para cada ação e em cada nível da sociedade brasileira. É preciso começar cedo.
Palavras-chave: Educação. Política. Sociedade. Participatividade. Democracia.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rubem. Ensinando política a crianças e adultos. 1.ª Ed. Curitiba: Nossa Cultura, 2009.

CORTELLA, Mário Sérgio. RIBEIRO, Renato Janine. Política para não ser idiota. 1. Ed. – São Paulo: Ed. Papirus Sete Mares, 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 21. Ed. - Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

PIAGET, J. A Tomada de Consciência. 3. Ed. São Paulo: Melhoramentos e Editora da Universidade de São Paulo, 1977.

RIBEIRO, João Ubaldo. Política, Quem manda, por que manda, como manda. 9 Ed. Rio de Janeiro, Ed. Nova Fronteira, 1986.

RODRIGUES, André. RIBEIRO, Larissa. DESGUALDO, Paula. MARKUN, Pedro. Quem manda aqui? – Um livro sobre política para crianças. 1. Ed. São Paulo, Companhia das Letrinhas, 2015.

THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação. Vol. 13 no. 39. Rio de Janeiro. Sept./Dec. 2008. In: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782008000300010&script=sci_arttext.

Acesso em: 20 de outubro de 2016.

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization – UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Disponível em: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia - Acesso em: 01 de setembro de 2014.




CONSCIESIUNIESI@GMAIL.COM