Alfabetização da criança cega: desafios

Cristina Bressaglia Lucon, Bruna Aparecida da Silva, Jadi da Silva de Paiva, Júlia Maria Gaspardi, Larissa Christina Bernardes Cardoso

Resumo


Esse artigo apresenta os resultados de uma pesquisa bibliográfica, sobre como acontece o processo de alfabetização e letramento de crianças que nasceram cegas. Tais crianças apresentam desde a ausência total de visão até a perda da projeção de luz, logo elas perderam a capacidade de enxergar antes de terem a visão como padrão de referência para a alfabetização. Desse modo, a importância desse estudo está em relatar que alfabetizar crianças cegas não diverge tanto de alfabetizar crianças videntes, porém, é preciso adequar a metodologia para atender as restrições resultantes da falta de visão. Os resultados mostram que essas crianças, geralmente, não apresentam dificuldades intelectuais para aprender, porém, elas podem apresentar dificuldades por conta da falta de estimulação. Nesse sentido, torna-se relevante que elas venham a frequentar o mais breve possível a escola de ensino comum, bem como o atendimento educacional especializado. Conclui-se que, quando elas tornam-se alfabetizadas e letradas, ganham dignidade, equidade e emancipação, dando-lhes a honra, sobretudo, de terem acesso ao conhecimento, de se expressarem, de serem inseridas na sociedade, e principalmente, exercerem de fato sua cidadania.

Descritores: Educação Especial. Educação Inclusiva. Diversidade.


Texto completo:

PDF


CONSCIESIUNIESI@GMAIL.COM