RESENHA CRÍTICA DO FILME “DOZE HOMENS E UMA SENTENÇA”

Júlia Pavinato, Letícia Aguiar Terra, ALESSANDRA GOMES VARISCO

Resumo


  A obra cinematográfica se passa em um tribunal norte-americano, onde está acontecendo o julgamento de um menino de 18 anos acusado de matar o pai com uma faca depois de uma briga. A sessão já está acabando e o júri, que é composto por doze homens, deve sair para debater. Entretanto, a decisão tem que ser unânime, ou seja, deve haver um comum acordo entre os integrantes sobre a absolvição ou condenação do jovem, visto que, decidido a culpa, a pena seria a morte. Assim, eles se retiram para uma sala reservada e fazem uma votação inicial, condenando o réu por onze votos a um.  O único homem que inocentou o garoto começa então a ser questionado por todos. Porém, ele mantém seu voto até o final, e , um à um, ele os convence, destacando todos as suas dúvida e abrindo um rol de possibilidades e questionamentos de todas as provas apresentadas e testemunhas ouvidas.

 


Texto completo:

PDF


CONSCIESIUNIESI@GMAIL.COM